Páginas
Como chegar
Canais sociais
Jéssica Lopes, a Miss Bumbum Inglaterra, se preocupou em deixar a pele clarinha e sem manchas em seu primeiro ensaio nu, para a revista "Sexy". A modelo fez peeling de diamante no corpo e revelou seu segredo: "Este procedimento é indicado para tratar manchas superficiais com uma esfoliação da pele, deixando a pele clarinha e unifome. Fiz no rosto também para amenizar as linhas de expressão e preparar a pele para uma maquiagem impecável"

Jéssica Lopes faz peeling de diamante antes de ensaio

Jéssica Lopes, a Miss Bumbum Inglaterra, se preocupou em deixar a pele clarinha e sem manchas em seu primeiro ensaio nu, para a revista “Sexy”. A modelo fez peeling de diamante no corpo e revelou seu segredo: “Este procedimento é indicado para tratar manchas superficiais com uma esfoliação da pele, deixando a pele clarinha e unifome. Fiz no rosto também para amenizar as linhas de expressão e preparar a pele para uma maquiagem impecável”.

Jéssica-Lopes-faz-peeling-de-diamantes-antes-de-ensaio2

As vantagens do Peeling de Diamante

Uma das vantagens do tratamento facial com peeling de diamante é que a pele não fica extremamente vermelha ou tão marcada como em outros tipos de peeling. Mas, o fato de ser um tratamento suave faz com que sejam necessárias de 5 a 10 sessões para bons resultados. Claro que isso vai depender de cada caso. O tempo de intervalo entre as sessões também varia entre 15 a 30 dias. Quem faz o tratamento de peeling de diamante deve evitar a exposição direta ao sol nos primeiro dias após começar o tratamento facial.

O Peeling de Diamante refaz a superfície da pele, conseguindo com isso um resultado a médio e longo prazo de uma pele brilhosa e sedosa.

Em menos de 6 meses mais de 20 tratamentos de microagulhamento realizados no Studio Sandra Martins de Estética Facial. O público de Brasília e DF procurando esse inovação para a renovação da pele do rosto.

ANVISA proíbe a reutilização do roller no microagulhamento

No Brasil existe um órgão que regula tudo o que é relacionado a procedimentos, produtos e equipamentos relacionados no uso da saúde. O equipamento roller usado nos tratamentos de microagulhamento foi registrado na ANVISA como um equipamento com agulhas associados a materias de plástico descartável, onde não é possível ser desmontado. Então tudo que entra em nosso país classificado como agulha é caracterizado e classificado como material de uso “único”. Não se reutiliza!!!

Resolução ANVISA nº 2605, 11 de Agosto de 2006. Agulhas com componentes, plásticos não desmontáveis, dito como usuo único são proibidos de serem reprocessados.

Ou seja é impossível ser reprocessado ou reutilizado. Desta maneira qualquer clínica de estética ou profissional que tente reutilizar o produto ou tentar esterilizar o roller para uma nova sessão de microagulhamento está completamente errado e indo contra a lei e normas vigentes da ANVISA.

O roller deve ser usado e descartado no fim de cada sessão por parte do profissional responsável pelo procedimento. Todos os rollers comercializados no Brasil devem ser descartados, seguindo assim as normas vigente em nosso país. Em outros países é liberado a reutilização, mas seguindo as normas da ANVISA essa atividade é prerrogativamente proibida no Brasil.

antes-e-depois-microagulhamento-brasilia-cicatriz-acne2

Quem burlar essa recomendação da ANVISA e reutilizar o roller em mais de uma sessão de microagulhamento, estará passível de penalidades legais e criminais, pois estará indo contra a legislação brasileira vigente.

Os rollers são equipamentos com agulhas de aço inoxidável e vem em embalagens lacradas e são devidamente esterilizados com radiação gama, o que confere segurança e livre de contaminação. Sendo que a esterilização feita por produtos é totalmente ineficaz em comparação à radiação gama!

O Microagulhamento com Dermaroller estimula a produção de colágeno e a renovação celular da pele através de micro perfurações feitas na pele por um aparelhinho que parece um mini rolo de pintar parede com agulhas.

Então aqui no Studio Sandra Martins não reutilizamos o roller no tratamento de microagulhamento, sendo usado apenas em uma única sessão, pois estamos em conformidade às normas de biossegurança da ANVISA. Somos uma empresa séria e ética

Confira dicas e maiores informações assistindo o vídeo abaixo:

 “Por recomendação da ANVISA O uso do roller no procedimento de Microagulhamento deve ser realizado apenas em cabine, com uso individual e uma ÚNICA VEZ. O Studio Sandra Martins por ser uma empresa com valores éticos segue as recomendaçõs vigente do Brasil. Não aceite a reutilização, pois quem agir assim está indo contra leis brasileiras, cabíveis de punição e penalidades. NÃO REUTILIZAMOS OU ESTERELIZAMOS ROLLERS JÁ USADOS.” ( Sandra Martins)

Meninas bom dia! Hoje é um dia muito importante! Hoje é o dia nacional de combate a Dengue e à febre Chikungunya - Dia D.

6 de Dezembro de 2014! Dia D contra a Dengue e Chikungunya

Meninas bom dia! Hoje é um dia muito importante! Hoje é o dia nacional de combate a Dengue e à febre Chikungunya – Dia D.

Acabar com o mosquito da dengue – que, diga-se de passagem, está mais perigoso e pode matar, porque agora também transmite a febre chikungunya – nâo depende somente do poder público. Cerca de 80% dos criadouros estão nas residências, isso mesmo, o mosquito vive dentro de nossas casas.

Pois bem, para dar aquela ajuda e evitar que o mosquito continue por aí, no dia 6 de dezembro será realizado o Dia D de mobilização para o combate ao mosquito da dengue e da febre chikungunya. Por meio da ação, convocada pelo Ministério da Saúde, os estados em um trabalho conjunto com os municípios, devem realizar uma intensa mobilização da população, além de mutirões de limpeza urbana e atividades para alertar os profissionais da área ao diagnóstico correto das doenças.

ara apoiar o esforço do Estado e dos municípios,  é importante que cada família verifique e elimine possíveis locais que acumulam água, ação que será reforçado nesse Dia D. A ação será repetida no dia 7 de fevereiro, com o Dia D+1. Este ano, faremos a seguinte proposta: se uma semana tem mais de dez mil minutos, que tal usar apenas 10 para combater a dengue? Isso mesmo, dez minutos por semana são suficientes para uma checagem nos locais onde o mosquito costuma colocar seus ovos e manter a saúde da sua família e da comunidade.

Mas é comum ouvir a pessoas dizerem: mas o fumacê passa na minha rua! Sim, o controle químico, conhecido como fumacê, utiliza inseticidas, mas dá uma falsa sensação de proteção, eliminando temporariamente o mosquito. Passado o efeito do inseticida o risco retorna ao depósito de água. Além disso, o controle químico utiliza produtos que podem trazer riscos às pessoas se mal utilizado, bem como produzir insetos resistentes a ele.
ara apoiar o esforço do Estado e dos municípios, é importante que cada família verifique e elimine possíveis locais que acumulam água, ação que será reforçado nesse Dia D. A ação será repetida no dia 7 de fevereiro, com o Dia D+1. Este ano, faremos a seguinte proposta: se uma semana tem mais de dez mil minutos, que tal usar apenas 10 para combater a dengue? Isso mesmo, dez minutos por semana são suficientes para uma checagem nos locais onde o mosquito costuma colocar seus ovos e manter a saúde da sua família e da comunidade.

Mas é comum ouvir a pessoas dizerem: mas o fumacê passa na minha rua! Sim, o controle químico, conhecido como fumacê, utiliza inseticidas, mas dá uma falsa sensação de proteção, eliminando temporariamente o mosquito. Passado o efeito do inseticida o risco retorna ao depósito de água. Além disso, o controle químico utiliza produtos que podem trazer riscos às pessoas se mal utilizado, bem como produzir insetos resistentes a ele.

Então, o meio mais eficaz é o controle mecânico, ou seja, simplesmente eliminar os depósitos que possam servir como criadouros, sem dar chance para o mosquito virar adulto.Geane Andrade, coordenadora do Programa Estadual de Controle Permanente da Dengue deixa o recado: Faça a sua parte eliminando todos os recipientes com água parada ou tampando os que não for possível eliminar. E lembre-se de receber o agente de combate à dengue para reforçar os cuidados.

 

Fique atento aos cuidados:

Caixa d’águe vedada evita a entrada ou saída do mosquito.
Galões, tonéis, poços, latões, lixeiras e tambores devem ser totalmente vedados, inclusive aqueles usados para água de consumo.
Ralos limpos e com aplicação de telas, evitam o surgimento de criadouros.
Vasos sanitários fora de uso ou de uso eventual devem ser tapados e verificados semanalmente.
Plantas como bambús, bananeiras, bromélias, gravatás, espada de são Jorge e outras semelhantes também podem acumular água.
Na área de serviços, baldes virados de boca para baixo evitam o acúmulo de água.
Lonas usadas para cobrir objetos ou entulhos, bem esticadas evitam a formação de poças d’água.
Piscinas e fontes devem ser limpas e tratadas com auxílio de produtos químicos específicos.

Então, o meio mais eficaz é o controle mecânico, ou seja, simplesmente eliminar os depósitos que possam servir como criadouros, sem dar chance para o mosquito virar adulto.Geane Andrade, coordenadora do Programa Estadual de Controle Permanente da Dengue deixa o recado: Faça a sua parte eliminando todos os recipientes com água parada ou tampando os que não for possível eliminar. E lembre-se de receber o agente de combate à dengue para reforçar os cuidados.

Fique atento aos cuidados:

  • Caixa d’águe vedada evita a entrada ou saída do mosquito.
  • Galões, tonéis, poços, latões, lixeiras e tambores devem ser totalmente vedados, inclusive aqueles usados para água de consumo.
  • Ralos limpos e com aplicação de telas, evitam o surgimento de criadouros.
  • Vasos sanitários fora de uso ou de uso eventual devem ser tapados e verificados semanalmente.
  • Plantas como bambús, bananeiras, bromélias, gravatás, espada de são Jorge e outras semelhantes também podem acumular água.
  • Na área de serviços, baldes virados de boca para baixo evitam o acúmulo de água.
  • Lonas usadas para cobrir objetos ou entulhos, bem esticadas evitam a formação de poças d’água.
  • Piscinas e fontes devem ser limpas e tratadas com auxílio de produtos químicos específicos.
makeup-maquiagem-natal-2012-monalisa-caetano

CUIDADOS COM A PELE PÓS FESTA DE REVEILLON

Com o fim de ano, chegam as festas! Natal, ano novo, festas da empresa, comemorações com os amigos, e assim vai… Haja fígado, pele e cabelo para aguentar tudo isso, né?

Por isso, hoje viemos te ajudar com dicas essenciais que vão manter a pele do seu rosto lindo mesmo no pós festa. Nós sabemos que muitas de nós às vezes chegamos tão cansadas que dá até preguiça de tirar toda a maquiagem, e, por isso, no dia seguinte acordamos parecendo um panda com olheiras ou toda borrada de maquiagem. Além do inchaço no rosto por termos dormido super tarde.

Vamos as dicas para deixar a pele do seu rosto 100% no dia seguinte:

cuidado com as maquiagens nas festas de fim de ano por sandra martins

  • Água com limão: Isso mesmo, beba muita água com limão no dia seguinte! Além de ser um super diurético que irá te ajudar a eliminar toxinas, promove a função do fígado, ajudando a eliminar o álcool que ainda estará em seu corpo e também ajuda a digestão.
  • Esfoliante: Você precisa se livrar de todos os óleos e maquiagens que estão obstruindo seus poros. Apesar de sentir sua pele limpa após uma lavagem, acredite, ela não está! Esfoliação intensa se você realmente quer uma pele limpa!
  • Lavagem: Parece clichê, mas claro que é essencial! Tente lavar com algum produto que contenha ácido salicílico em sua fórmula, pois mata fungos e bactérias que podem prejudicar e fechar seus poros.
  • Máscara: Sim, máscara para o rosto! Se você quer realmente ter sua pele 100% limpa e de volta a estaca zero, uma máscara é sim necessário, e quanto mais forte melhor! E já ouviu falar que vinagre de maçã ajuda em tratamentos de beleza? Pois misture sua máscara de pele com vinagre de maçã e aplique no rosto, vai simplesmente sugar todas as suas impurezas!!
  • Adstringente: É legal sim usar um adstringente, só para certificar de que não há mais nenhum resto de maquiagem e garantir mais limpeza.
  • Hidratação: Por fim, apenas aplique um hidratante de rosto que você goste!

Vocês vão ver como o rosto vai parecer outro!

grande-promoção-limpeza-de-pele-peeling-diamante-luz-de-led-design-sobrancelha-brasilia

 

Será se realmente vale tudo pela beleza? Pense bem!!! Não faça tratamento com hidrogel!

Hidrogel e os risos em seu procedimento

Produto esteve relacionado a problemas graves nos últimos meses.
Ele é regulamentado no Brasil, mas especialistas recomendam cautela.

O hidrogel, produto usado principalmente para preenchimento e aumento de volume em regiões como o bumbum e as coxas, esteve relacionado a problemas graves de saúde em pessoas que recorreram a esse procedimento nos últimos meses.

Neste fim de semana, a modelo Andressa Urach foi internada com uma infecção na coxa esquerda que teve origem em uma aplicação de hidrogel. Ela está em estado grave, segundo o hospital. Em outubro, uma mulher morreu em Goiânia depois de passar pelo procedimento de aplicação de hidrogel no bumbum. Segundo o que foi divulgado ela usou 200 vezes o que é liberado pela ANVISA em sua aplicação!

Entenda para que serve, quais são os riscos de sua aplicação e quais são os cuidados que os pacientes devem ter, caso queiram se submeter ao procedimento. Veja, abaixo, perguntas e respostas sobre o produto:

O que é o hidrogel?
Trata-se de um gel que tem em sua composição 98% de água e 2% de poliamida utilizado no Brasil desde 2008, de acordo com a médica Valéria Campos, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Para que serve?
O hidrogel é usado para aumento de volume em regiões como o bumbum e as coxas. Também é usado para o preenchimento de linhas e rugas no rosto e no pescoço.

O produto é regulamentado?
A marca mais conhecida de hidrogel, chamada Aqualift, tem registro na Anvisa. Sua colocação é, portanto, um procedimento regulamentado pelas autoridades sanitárias do Brasil.

Maria José Brandão morreu após fazer aplicação de hidrogel no bumbum, em Goiânia

Maria José Brandão morreu após fazer
aplicação de hidrogel no bumbum, em Goiânia

A dermatologista Valéria Campos observa que o hidrogel não é aprovado pelo órgão americano que regulamenta alimentos e medicamentos, o Food and Drug Administration (FDA). “O FDA é um órgão bastante rigoroso, portanto o fato de o hidrogel não ser aprovado por ele é um sinal de alerta”, diz a dermatologista.

O médico Fernando de Almeida Prado, presidente da Regional São Paulo da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP-SP), afirma que, embora seja um procedimento regulamentado, não há estudos suficientes que garantam a segurança da técnica em longo prazo, por isso é necessário ter cautela.

Como é a colocação?
O hidrogel é injetado com uma microcânula sob a pele da área em que o paciente quer aumento de volume. Trata-se de um procedimento cirúrgico feito sob anestesia local e que deve, portanto, ser feito em um centro cirúrgico ou em um estabelecimento que tenha condições de atender possíveis emergências médicas.

O profissional habilitado para fazer o procedimento é um médico, de preferência um cirurgião plástico ou um dermatologista com treinamento em técnicas de preenchimento do corpo.

É um procedimento permanente?
Segundo o cirurgião plástico Rogerio Ruiz, da SBCP, o hidrogel é um produto absorvível que fica no organismo por um período que vai de 1,5 a 2 anos, dependendo do local onde é injetado e das características do paciente. O previsto é que, depois desse tempo, o produto seja absorvido pelo próprio organismo e, caso o paciente queira que o volume aumentado continue, é necessário fazer uma nova aplicação.

A modelo Andressa Urach teve problemas graves devido à aplicação de hidrogel nas coxas

A modelo Andressa Urach teve problemas graves devido à aplicação de hidrogel nas coxas

Quais são os riscos?
Segundo Ruiz, como o procedimento prevê o depósito de uma grande quantidade de material sob a pele, há risco de o produto ser injetado perto de um vaso e comprimi-lo. Isso pode levar a uma isquemia, ou seja, a uma interrupção do fluxo de sangue, que pode ocasionar uma necrose da pele. Também há risco de o produto comprimir um nervo importante, provocando dores fortes.

Outro risco é que o produto seja equivocadamente injetado dentro de um vaso sanguíneo, o que pode levar a uma trombose e à necrose da pele no local. Pode também provocar uma embolia pulmonar ou até cerebral, e levar à morte. O paciente está sujeito ainda a ter hematomas, dores e alergia ao produto.

Caso ocorra algum problema, o produto pode ser retirado com uma cirurgia ou usando a técnica da lipoaspiração. Ruiz alerta, porém, que se o produto utilizado não for o original, a retirada tende a ser muito mais difícil porque outros produtos tendem a ser mais viscosos e pesados.

Quais são os cuidados que o paciente deve ter?
O paciente deve procurar um profissional habilitado para fazer o procedimento. De preferência, um cirurgião plástico ou um dermatologista com experiência no uso do produto. O estabelecimento onde a aplicação será feita deve ser um centro cirúrgico ou um estabelecimento que tenha condições de atender possíveis intercorrências médicas.

Ruiz observa que os pacientes devem ficar atentos ao preço do procedimento: valores muito baixos podem indicar que o material utilizado não é original. Segundo ele, o hidrogel é um produto caro e, para se fazer um aumento de volume razoável nos glúteos, por exemplo, utiliza-se ao menos 300 ml de cada lado. “Isso tem um custo realmente bastante alto. Algumas pacientes vão procurar um procedimento mais barato e acabam tendo complicações.”

Valéria recomenda que o paciente peça para ver o frasco do produto e, se possível, fotografe a embalagem e o código de barras para que, se houver algum problema relacionado ao produto, ele possa recorrer ao fabricante.

Será se realmente vale tudo pela beleza? Pense bem!!! Não faça tratamento com hidrogel!

Será se realmente vale tudo pela beleza? Pense bem!!! Não faça tratamento com hidrogel!

Que outros procedimentos têm o mesmo efeito?
Ruiz observa que, para pessoas que querem o efeito de aumento do volume, existem outras estratégias que podem ser consideradas e que são mais seguras do que a aplicação de hidrogel. Uma delas é o uso da gordura do próprio paciente para preenchimento. Outra é o implante de próteses de silicone.

“Cabe ao médico conversar com a paciente, tirar todas as dúvidas e, junto com paciente, discutir qual o procedimento mais indicado. Além disso, trabalhar com técnica precisa e com material que seja aprovado pelo Ministério da Saúde e pela Anvisa”, diz Ruiz.

Já ouviram falar de Dermaroller? Ou Microagulhamento? Está começando a ser conhecido no Brasil, mas nos EUA já é a maior febre! Você sabe porque? Porque ele promete melhorar muito a aparência da pele do rosto, combatendo a flacidez, as rugas e linhas de expressão, melhorando estrias, marcas e cicatrizes, dando viço, luminosidade e controlando a acne.

Microagulhamento e acne estudos comprovam resultados

Após o programa do Bem Estar da Rede Globo que falou sobre o Microagulhamento e os seus benefícios sobre as cicatrizes de acne na pele do rosto, muitas divas estão procurando sobre maiores informações e realizando avaliações no Studio Sandra Martins em Taguatinga Norte. Por ter um preço em cota, o microagulhamento torna-se uma ótima opção para você que deseja bons resultados contra cicatrizes de acne na pele.

Para convalidar os resultados nada melhor do que apresentar estudos que corroboram com tudo o que está sendo apresentado tanto na internet, quanto jornais e televisão. Confira abaixo um estudo da especialista Mirella Mirando Evangelista, mestranda em administração dos serviços da saúde, especialista em terapia manual e postural e fisioterapia dermato-funcional.

Resumo
A cicatriz atrófica da acne é uma alteração tecidual que incomoda várias pessoas que sofrem com esta alteração, causando transtornos sociais e psicológicos. Sendo assim constante a busca de tratamentos para melhorar o aspecto da atrofia. Atualmente no mercado são vários os métodos com o objetivo para a melhora da cicatriz da acne, como os químicos e abrasivos. O microagulhamento é um procedimento baseado no uso de micro agulhas, sendo um método simples e natural de regeneração da pele. Esta técnica é indicada especialmente para melhoria da flacidez de pele facial e corporal, estrias, cicatrizes atróficas (brancas) de acne, cirurgia e queimaduras. Tem a vantagem de ser um procedimento feito em cabine, custo baixo, bem tolerado, com período curto de recuperação e pouca dor. A expectativa é de melhora após um mês após a primeira sessão. Nesta técnica, a pele é perfurada superficialmente, criando múltiplos micro-canais. O objetivo é a estimulação da derme com renovação do colágeno e angiogênese, e é denominada Terapia por Indução de Colágeno.
Introdução
Mais recentemente tem sido proposta a utilização de um sistema de microagulhas aplicado à pele com o objetivo de gerar múltiplas micropunturas, longas o suficiente para atingir a derme e desencadear, com o sangramento, estímulo inflamatório que resultaria na produção de colágeno (FERNANDES, 2006). O microagulhamento recupera a pele envelhecida ao estimular a produção natural de colágeno, de maneira semelhante as técnicas de resufacing, tais como as cirurgias a laser ou técnicas de peeling, e não há praticamente nenhum efeito colateral, aumentando a espessura da pele em 8%, tornando-o a verdadeira solução antienvelhecimento da pele da próxima geração (FERNANDES, 2008).

Além disso, as micro agulhas estimula uma cicatrização natural da derme que induzem a produção natural de colágeno para maximizar as habilidades de recuperação das células da pele ao reduzir rugas, cicatrizes e pigmentação, além de melhorar a firmeza e o tom da pele (FERNANDES, 2008).

Os discos agulhados criam um dano mínimo à derme sem a remoção da epiderme saudável, o que acontece com a aplicação de outras técnicas. Pelo fato da epiderme ficar intacta, o período de cicatrização é rápido. Então mais colágeno pode ser produzido naturalmente (AUST, 2008).

As cicatrizes atróficas são depressões dérmicas mais comumente provocadas por destruição do colágeno durante doenças cutâneas de caráter inflamatório, como acne nódulo-cística ou varicela, ou após traumas, queimaduras e cirurgias. São cicatrizes de difícil tratamento, geralmente abordadas cirurgicamente. Entretanto, tratamentos menos invasivos têm sido utilizados com relativo sucesso (PARK, 2011).

Relato de Caso
Paciente do sexo feminino, 19 anos, fototipo II de Fitzpatrick, apresentava há aproximadamente dois anos cicatriz atrófica na região da face que surgiu após quadro de acne nas fases I, II, III ao longo de quatro anos. Após analise e comprovação da cicatriz atrófica a proposta de tratamento foi a utilização da técnica de microagulhamento utilizando o Derma-Q Premium Quality com micro agulhas de 2.0 milímetros.

Métodos

Antes de cada aplicação, utilizou-se anestesia tópica com lidocaína 4% em creme (Dermomax®) no local a ser tratado. Foram realizadas cinco sessões, com intervalos de 15 dias entre elas, sendo utilizados os seguintes parâmetros: o sistema de deslizamento do roller no sentido horizontal, vertical e diagonal ate alcançar o sangramento da região. Depois feito a limpeza da pele com gaze e solução fisiológica de cloreto de sódio a 0,9% de frascos de 10 ml estéril. Durante o intervalo entre as sessões, a paciente fez uso de (Renopel®) por duas vezes ao dia e fotoprotetor com FPS 50.

Resultado

Ao final das cinco sessões, a paciente evoluiu com melhora significativa das lesões, com a redução da profundidade das cicatrizes e fechamento de poros que estavam dilatados. Foi orientada a continuar o uso do (Renopel®) por um mês, além de fotoproteção.
Discussão
O microagulhamento demonstrou-se opção rápida, segura, eficaz, não invasiva e que não produz perda de volume facial para o tratamento de cicatrizes atróficas. Uma vez que o microagulhamento leva à coagulação tecidual e remodelação dérmica, o que é desejável para o tratamento de cicatrizes atróficas. O microagulhamento tem sido estudado para o tratamento de cicatrizes de acne e cicatrizes atróficas uma vez que existem poucos estudos que relaciona o microagulhamento com a cicatriz de acne. Em comparação com os outros métodos utilizados para o tratamento da cicatriz de acne como o peeling químico e laser o microagulhamento tem uma resposta positiva uma vez que a fotosensibilidade é menor e se tem maior controle no procedimento.

Conclusão
A demonstração desse caso clínico corrobora a proposta de tratamentos menos invasivos, como terapia por indução de colágeno através do microagulhamento, para dermatoses de difícil tratamento como a cicatriz de acne, com segurança e eficácia.

Referências
Aust MC. Percutaneuos Collagen Induction therapy (PCI)-an alternative treatment for scars. Wrinkles Skin Laxity. Plast Reconstr Surg. 2008;121(4):1421-9
Fernandes D, Massimo S. Combating photoaging with percutaneuos collagen induction. Clin Dermatol. 2008; 26(2): 192-9
Fernandes D. Minimally invasive percutaneous collagen induction. Oral Maxillofac Surg Clin North Am. 2006;17(1):51-63
Park GH, Rhee DY, Bak H, Chang SE, Lee MW, Choi JH, et al. Treatment of atrophic scars with fractional photothermolysis: short-term follow-up. J Dermatolog Treat. 2011;22(1):43-8.