Tratamentos estéticos durante a gravidez pode causar partos prematuros

Segundo especialistas muitos procedimentos estéticos são proibidos durante a gravidez

Machas na pele, inchaço, estrias e celulite são problemas comuns que incomodam as mulheres durante o período gestacional. Para reduzir alguns sintomas as gestantes buscam nos tratamentos estéticos a solução para as mudanças corporais ocasionadas durante a gestação, sem saber que podem afetar diretamente a saúde do bebê.

Segundo especialistas muitos procedimentos estéticos são proibidos durante a gravidez e a gestante deve ficar atenta desde de um simples creme, que pode contêm substâncias que são absorvidas pela pele, até tratamentos realizados com a laser, como a depilação. Para o obstetra, David Batista, os cuidados com o corpo e a saúde devem ser de ser redobrados durante esse período e sempre acompanhado por um médico. “Nesta fase, a mulher apresenta muitas restrições quanto aos tipos de medicamentos dos quais pode fazer uso, o que torna o tratamento de uma simples irritação de pele, por exemplo, mais complexo e delicado afetando diretamente ao bebê”, explicou.

Entre os tratamentos que estão totalmente proibidos pelos obstetras estão: o Peeling químico, que pode causar a má formação do bebê, por possui na sua composição amônia, ácido retinóico, ácido glicólico ou ácido salicílico,  passados para o bebê através do líquido amniótico;a Radiofrequência, também totalmente vetado pelos especialistas, estimula a produção de colágeno e deixa a pele mais firme, porém o aparelho exerce forte pressão e causa fortes contrações no corpo da mulher, o que pode levar a um parto prematuro.

Tratamentos estéticos durante a gravidez pode causar partos prematuros1

A administradora Ângela Souza conta que durante a gestação realizou algumas sessões de massagem modeladora sem saber que prejudicaria a gestação. “Fui indicada por uma amiga a fazer sessões de massagens, na última sessão ao chegar em casa senti algumas dores e busquei o meu obstetra, descobri que havia deslocado a placenta”, conta.

David Batista explica que muitos são os tratamentos que requerem cautela na hora de ser realizados pelas gestantes, mas procedimentos simples, como limpeza de pele e hidratação capilar, podem ser feitos pela mulher. “Em geral, tratamentos pouco invasivos e sem determinados componentes químicos (como a amônia), podem ser feitos tranquilamente do quarto ao oitavo mês de gestação. Mas são contraindicados nos três primeiros meses, nos quais o feto ainda está se formando, e no último, quando o corpo começa a se preparar para o parto”, esclareceu o especialista.

Outro ponto que o médico alerta é a escolhas dos profissionais que irão realizar os tratamentos. “Os profissionais escolhidos devem ser habilitados e ter experiência com gestantes. Se a gravidez for de risco ou apresentar complicações, o médico deverá ser consultado antes de a mulher se submeter a qualquer procedimento, por mais inofensivo que ele pareça ser,” alertou David Batista.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Agenda sua Avaliação

A avaliação é fundamental para tratamentos mais complexos!
avaliação

Últimas notícias

NOSSOS TRATAMENTOS ESTÉTICOS